Notícias mais aprofundadas estarão no Jornal Fazendários em pauta de dezembro

O segundo dia (6/12) do II Encontro de Auditores do Município do Recife foi iniciada com a palestra do procurador-geral do Recife, Rafael Figueiredo, para falar de inovações no setor público. Ele trouxe o tema “Prefeitura do Recife adequando-se ao século XXI”.

O evento contou também com outras personalidades de destaque no cenário de inovação, como o advogado especialista na área tributária da In Loco, Rafael Moraes; o sócio-diretor da Matriz Consultoria Contábil e Planejador Financeiro, Paulo Marostica; e Diogo Veloso, sócio da Consultoria Aika, que abordou questões relacionadas à inovação especificamente na área de Gestão de Pessoas.

Rafael Figueiredo abordou como as novas plataformas, com seus aplicativos, estão mudando a realidade e a economia mundiais, questionando o papel do estado neste contexto. Mostrou as inovações que a Prefeitura do Recife vem fazendo, a exemplo da Proideia, que é um Programa de inovação , desburocratização e eficiência da administração municipal;  Dados Recife, que apresenta dados abertos no Portal da transparência; Colab.re, iniciativa da sociedade e que contribui com o governo; Portal de licenciamento urbanístico; Transforma Recife, mostrando a força do voluntariado; Quero impactar; Siga; Arborize; e o Chegando Junto, que são variadas formas de inovação com interface com o setor público”.

O advogado tributarista Rafael Moraes, da Inloco - empresa de tecnologia que fornece inteligência a partir de dados de localização, juntamente com Paulo Marostica, também especializado em tributação, sócio-diretor da Matriz Consultoria Contábil, apresentaram a mesa-redonda com o tema “O desafio da tributação dos negócios desenvolvidos na era digital”.

Rafael Moraes trouxe a experiência da Inloco com as diferentes tributações entre os estados brasileiros. “Eu vou mostrar a minha experiência com vocês da Prefeitura do Recife, da Secretaria de Finanças. Eu gosto muito de trabalhar com vocês, pois participamos do projeto de benefício do Porto Digital. Fizemos uma alteração normativa para a Inloco poder participar. Isso trouxe uma proximidade com a PCR, mas só a partir de 2018 é que a gente começou a pagar de fato o ISS. Antes, por uma questão de interpretação normativa, tributária, a gente não pagava ISS. Prestava o serviço, mas não existia uma norma que definisse isso, com a alteração da Lei Complementar 157 é que a gente passou a pagar o ISS. Em decorrência disso, começamos a ser tributados também em SP e Fortaleza”.  

Paulo Marostica trouxe a provocação de algumas discussões sobre as peculiaridades das empresas de tecnologia da informação. Fez uma licença poética para mostrar um brainstorming sobre o que a administração tributária moderna pode criar. “Apresento a possibilidade de soluções amigáveis x autos de infração. Afinal, quando viável, a solução amigável acelera a arrecadação e reduz a litigiosidade. Outros tópicos interessantes seriam as reuniões de conformidade tributária e criar uma mesa de negociação permanente com contribuinte que quer transacionar a dívida, com claros limites e punições”.

Diogo Veloso, sócio da Aika Consultoria, explicou que a sua empresa é um laboratório de experiências em gestão e comportamento humano. Ele tinha participado também do Planejamento Estratégico da Secretaria de Finanças de 2004, juntamente com seu pai, João Fernando. “A Aika é um laboratório de experiências para mexer com as pessoas. A gente mexe em dois sentidos: na gestão e no comportamento humano. Mas a gente acredita que se a gente não tocar a alma humana, a gente não vai conseguir fazer mudança nenhuma. Então, nós nos preparamos para fazer isso da forma mais consistente possível”.

 


....................................................

Redação: Andréa Pessoa
Fotografia: Alexandre Oliveira

Rua Prof. Andrade Bezerra, 64 | Parnamirim
Recife – PE | CEP: 52.060-270
Tel.:(81) 3441-6044
afremsindical@afremsindical.org.br